Procedimentos Dermatológicos

Os procedimentos dermatológicos, sem fins de diagnóstico, podem ser feitos em casa. Basta despir-se totalmente e com a ajuda de um espelho observar atentamente todo o corpo procurando por novos sinais, manchas, cicatrizes, descamação ou coceira. Não se deve esquecer de observar nenhum local, como a nuca, atrás das orelhas e entre os dedos dos pés.

Caso note alguma alteração, vale a pena ir a um dermatologista, para ter a opinião de um profissional. O dermatologista é o médico especialista em doenças da pele e consegue diagnosticá-las com maior facilidade, indicando a melhor forma de tratamento.

  

O exame é feito no consultório do dermatologista, abaixo alguns exames realizados:

 

Biópsia: Procedimento simples, em que um pequeno fragmento da pele, da mucosa ou da unha é retirado para análise patológica, com o objetivo de diagnosticar uma doença da pele, seja ela um tumor ou um outro tipo de dermatose.

Cirurgia Dermatológica: São procedimentos cirúrgicos realizados na pele e tecido subcutâneo. Os mais comuns são retirada de nevos (pintas), retirada de cistos, biópsias, eletrocauterização, retirada de tumores benignos e malignos da pele. São feitos em ambiente ambulatorial sob anestesia local.


Carboxiterapia: Consiste na aplicação de gás carbônico com auxílio de agulha na região intradérmica e subcutânea com o intuito de melhorar a circulação local levando a melhora de diversas alterações da pele como estrias, rugas, olheiras, celulite, cicatrizes inestéticas, flacidez.


Cauterização química: Cauterização química é o processo utilizado para destruição tecidual utilizando-se de ácidos como o nítrico, o tricloroacético e o fenol. A profundidade da destruição depende da concentração da substância e da duração do contato. O tratamento causa ardência e pode ocorrer vermelhidão ao redor. Nos dias que se seguem, a área tratada torna-se escura e ressecada, devido à morte celular. Cerca de 7 a 15 dias depois ela é eliminada. Quando realizada de forma criteriosa e com a concentração adequada do ácido, proporciona ótimos resultados. Pode ser usada para tratamento de pequenas lesões da pele, como ceratoses actínicas, ceratoses seborréicas, verrugas virais, xantelasmas e manchas.


Crioterapia: é a aplicação de uma substância (nitrogênio líquido) que diminua a temperatura local com finalidade terapêutica. A crioterapia pode ser utilizada para tratamento de quelóides, verrugas, lesões pré-cancerosas, câncer de pele, ceratoses seborréicas, granuloma anular. Muitas vezes ela é uma alternativa às cauterizações ou cirurgias dermatológicas. A sensibilidade à dor é variável de pessoa para pessoa. O tempo de tratamento (congelamento) é determinado pela profundidade da lesão a ser tratada. Bolha ou crosta na área tratada aparece após o tratamento, com cicatrização em 1 a 4 semanas.


Curetagem: A curetagem ou raspagem de lesões de pele utiliza um instrumento circular cortante - a cureta – para remover o tecido indesejável. Pode ser aplicada a tecidos superficiais ou profundos, conforme a indicação. Deixa uma ferida que, em geral, cicatriza em 7 a 14 dias.

Pode ser utilizada no tratamento de molusco contagioso, verrugas e outras lesões benignas. Também é usada em parte do tratamento de câncer de pele.


Infiltração intralesional: A infiltração consiste na injeção de uma medicação dentro da lesão para o seu tratamento. Desta forma ela atua diretamente no local onde é necessária e sua ação é mais intensa. Geralmente usam-se os chamados "medicamentos de depósito", que continuam agindo no local por vários dias. É possível utilizar medicamentos anti-inflamatórios, antibióticos ou quimioterápicos em lesões de pele.

As infiltrações podem ser utilizadas para tratamento de verrugas, alopécia, quelóides e outras lesões benignas.